terça-feira, 14 de maio de 2013

O ICEC - Instituto de Cultura e Educação Calvinista, na pessoa do seu coordenador, Luis Cavalcante, presbítero presbiteriano, como calvinista, cristão conservador e ortodoxo, defendemos a DRA. DAMARES ALVES e condenamos a esquerdista, neo-marxista e liberal metodista Magali do Nascimento Cunha pelo seu sofisma em desqualificar o vídeo e fortalecer a política esquerdista ideológica de sexualizar, homossexualizar, bissexualizar e androginizar as nossas crianças.

Genizah e manipulação: a esquerda a serviço da esquerda

 

Genizah e manipulação: a esquerda a serviço da esquerda

Julio Severo
Fiquei surpreso e desconfiado quando o vídeo da Dra. Damares Alves foi divulgado também no Genizah. O vídeo, que muita gente no Brasil viu através de incontáveis sites e blogs, denuncia o governo federal sexualizando as crianças.
Muito acertadamente, o filósofo Olavo de Carvalho disse sobre o vídeo: “É, sem favor nenhum, o discurso mais importante e mais valioso proferido em português do Brasil no último meio século.”
Não fiquei surpreso com o que o governo federal faz e fez. Meu blog contém textos e fontes sobre esse assunto, que não é novidade para mim. Outros sites sérios, inclusive o Mídia Sem Máscara, contêm denúncias semelhantes. Eu mesmo já testemunhei, pessoalmente, uma elevada funcionária do governo federal falando sobre isso anos atrás.
Minha surpresa e desconfiança foram com a real intenção do Genizah em expor algo tão necessário para as famílias brasileiras.
Minha suspeita não se confirmou. Ontem, o Genizah disse que conheceu uma refutação “contundente” ao vídeo da Dra. Damares e fez contato com a autora, a sra. Magali do Nascimento Cunha.
Magali do Nascimento Cunha discursando no Conselho Mundial de Igrejas
O Genizah explicou: “As refutação é minuciosa e oferece ao leitor a clara certeza de que estamos diante de uma peça de manipulação (vídeo), de inspiração política visando alarmar a população evangélica objetivando colher frutos nas próximas eleições.”
Em seguida, alega que o vídeo da Dra. Damares é “uma peça para atacar o governo federal forjando estatísticas e inventando fatos.”
Depois da refutação “contundente”, veiculada neste link pelo Genizah, a única impressão que ficou é que as denúncias de que o governo está sexualizando as crianças são “mentiras.” A mulher que denunciou “manipulou,” segundo o Genizah.
Supostamente, de acordo com o Genizah, a mulher metodista que atacou Damares só está interessada na “verdade” e não tem nenhuma motivação ideológica.

Quem é Magali do Nascimento Cunha?

Qual é a credencial da metodista que virou a heroína da “verdade” no tabloide sensacionalista Genizah? Magali do Nascimento Cunha é professora da Faculdade de Teologia da Universidade Metodista de São Paulo, um dos maiores redutos esquerdistas do protestantismo brasileiro.
Ela é também membro do Comitê Central do Conselho Mundial de Igrejas, o maior reduto de protestantes esquerdistas do mundo.
O site do Conselho Mundial de Igrejas destaca, com louvores, que Magali faz parte da infame Comissão Nacional da Verdade, um grupo criado pelo governo de Dilma Rousseff (que tem passado terrorista comunista) para investigar supostas violações de direitos humanos por parte dos militares contra terroristas comunistas armados que matavam, assaltavam bancos, faziam atentados a bomba, sequestravam, etc.
A Comissão Nacional da Verdade, que julgará apenas os militares e não os terroristas comunistas, tem tido amplo apoio do Genizah, que tem destacado o papel de protestantes na luta comunista contra o governo militar.
Magali também colocou de fora suas vermelhas unhas comunistas no caso Marco Feliciano, que atraiu a fúria de toda a esquerda secular e evangélica.
Naturalmente, Magali não podia ficar de fora da campanha de ódio perpetrada por seus camaradas contra Feliciano.
Ao reclamar de Feliciano, ela o enquadra como “cristão predominantemente conservador teologicamente, marcado por um fundamentalismo bíblico” — uma acusação rotineira da esquerda protestante contra todo evangélico que não segue a cartilha de Karl Marx ou não compartilha da agenda gayzista e abortista.
O que não é surpresa é que a reclamação dela foi postada, em seu blog pessoal, por Leonardo Boff, um ex-católico que é o maior promotor da Teologia da Libertação no Brasil.
Não é a toa, então, que o Genizah tenha acolhido com tanto entusiasmo a refutação “contundente” da protestante esquerdista, ecumênica e liberal. São almas gêmeas.
Dá até para entender por que o Genizah havia postado inicialmente o vídeo de alerta da Dra. Damares Alves. Ela já ajudou Marina Silva. De forma semelhante, em seus textos, Magali deixa também transparecer simpatia por Marina e seu esquerdismo melancia.
Mas a diferença é gritante. Mesmo com suas marinadas, Damares faz muito mais do que Marina faz: ela denuncia o governo federal. Magali não. O resultado é que entre as marinadas de Damares e o esquerdismo safado de Magali, a escolha do Genizah foi por sua alma gêmea.
Outra explicação possível é que, ao descobrir que tanto eu quanto Olavo de Carvalho elogiamos o discurso gravado de Damares, o Genizah decidiu despejar no vídeo toda a sua ojeriza pelo conservadorismo, com os mesmos argumentos falaciosos de sempre. (Para os leitores iniciantes, Olavo de Carvalho e Julio Severo são alvos preferenciais do tabloide sensacionalista Ojerizah.)
A esquerda protestante brasileira tem feito uso de maldades, safadeza e mentiras desde seus primórdios, conforme registra meu livro “Teologia da Libertação X Teologia da Prosperidade.” Um evangélico possesso da heresia esquerdista vende a própria mãe, ou Deus, para fazer a vontade do pai da mentira e da safadeza.

O pedófilo de cueca amarela

O fato mais importante e escandaloso é que em momento algum Magali do Nascimento Cunha provou que o governo federal NÃO está sexualizando ou até mesmo homossexualizando as crianças do Brasil. Sua refutação “contundente” focou apenas em detalhes técnicos, sem se importar se o governo Lula e o governo de Dilma Rousseff cometeram as sexualizações e muitas outras aberrações.
Meu blog tem toneladas dessas informações, inclusive denúncias mostrando protestantes como o Genizah e militantes como Magali colocando sua ideologia acima do bem-estar das famílias. Muito diferente de mim, que tenho trabalhado para defender valores pró-família sem salário algum, Magali conta com milhares de reais para “inspirá-la” em sua rota esquerdista.
Focar em detalhes técnicos é uma artimanha — tipicamente esquerdista — de manipular o debate. Assim, em vez de todos tratarem objetivamente do estuprador que violentou a menina de cinco anos, o advogado ardiloso esfrega as mãos de malícia e apela para o juiz no tribunal: “Excelência, note que meu cliente está sendo acusado de estuprar a menininha, mas a mulher que fez a acusação cometeu um erro imperdoável. Ela disse que meu cliente estava usando cueca amarela, mas eu digo que era azul-claro. Como podemos dar credibilidade para ela?”

Assim, o ardiloso desvia o assunto para detalhes, na esperança de que o público perca a atenção do crime maior: o estupro da menina. No final, todos esquecem a menina e ficam ocupados batendo boca para ver quem está certo sobre a cor da cueca imunda do pedófilo.
O governo federal está sexualizando e homossexualizando as crianças? Magali não respondeu a essa pergunta, e ainda desviou o foco.
O Ojerizah e Magali têm uma motivação ideológica? Uma só, é de duvidar. O mais provável é que sejam várias.
A Dra. Damares errou a cor da cueca de um dos sexualizadores de crianças? Talvez. Mas isso não muda a gravidade e a realidade das denúncias. Por mais que o Genizah, Magalis e outros protestantes esquerdistas endinheirados queiram desviar o assunto para detalhes, crianças estão sendo sexualizadas nas escolas.
Leitura recomendada:
Sobre o Genizah:
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário