quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Manifesto Reformado, Calvinista e Presbiteriano para não votar no Pai do Kit Gay Fernando Haddad!


POR QUE NÃO VOTAR EM HADDAD?

















Por que não voto em Haddad? Porque ele é filiado 
ao PT (Partido dos Trabalhadores). E antes que eu 
seja chamado de preconceituoso e ingênuo deixe-me 
dizer que eu já votei em candidatos filiados ao PT. 
Votei, mas não voto mais. Eu disse no meu último 
post que, por causa da lei da fidelidade partidária, 
o cristão deve considerar as ideologias programáticas 
do partido a que estão vinculados os seus 
candidatos. O PT reafirma a fidelidade partidária 
em seu código de ética:

3º – São princípios éticos fundamentais que devem 
orientar a conduta de todos os filiados ao Partido 
dos Trabalhadores: I – o respeito à fidelidade 
partidária, ao Estatuto, ao Código de Ética e 
Disciplina, ao programa e às decisões regulares 
das instâncias do Partido; (…) VII- a fidelidade 
aos princípios programáticos, à ética e às decisões partidárias, no exercício de mandato eletivo, 
de cargo ou função de confiança” (Disponível em: http://www.pt.org.br/arquivos/codigodeetica.pdf )

Deste modo, os candidatos estão comprometidos 
com os ideais de seu partido. Por isso, no meu 
entendimento, os candidatos do PT, por causa 
de seu compromisso programático, não deveriam 
receber os votos dos cristãos. Pois, como 
corretamente afirma Uziel Santana, “os valores 
absolutos do cristianismo não se coadunam com 
a grande maioria das políticas, programas e 
projetos da plataforma governamental do PT
“foram anos de fina desconstrução ideológica 
do pensamento (logos) e dos valores (ethos) 
cristãos” (http://direitoreformacional.blogspot.com.br/2010/04/o-cristianismo-na-era-do-estado-d-pt-e.html)
“Nunca na história deste país” – para usar a 
expressão do ex-presidente petista – os cristãos 
foram tão atacados em seus valores e dignidade. 
O Partido dos Trabalhadores tem, de maneira 
deliberada e calculada, levado a efeito um projeto 
de desconstrução da tradição judaico-cristã na 
sociedade brasileira. O conjunto de políticas públicas, 
programas e projetos da plataforma institucional do PT demonstra isto claramente.
Numa série de artigos publicada em 2010 no Jornal 
Correio do Sergipe, Uziel Santana aponta e analisa 
uma lista de projetos de lei de autoria de 
parlamentares petistas cujo propósito claro é o 
estabelecimento de um Estado totalitário 
anticristão. Segundo o próprio Uziel, ele realizou:
“um simples inventário legislativo do que 
promoveu o Estado do PT e o Governo Lula 
nestes oito anos de tomada do poder”. E, concluiu:

Como assentimos, existem vários outros projetos 
de lei que não nominamos por razões de espaço 
nesta coluna jornalística. Do mesmo modo, ainda 
não está incluída aqui o inventário nominativo de 
dezenas de medidas provisórias do Executivo que, 
de 2003 a 2010, promoveram a desconstrução dos 
valores cristãos no nosso país” (http://pt.scribd.com/doc/30733089/O-Cristianismo-na-Era-do-Estado-do-PT-e-do-Governo-Lula-2003-2010-Parte3)
É bem verdade que vamos encontrar candidatos 
afinados com agendas anticristãs tais como a 
agenda abortista e a agenda do movimento gay 
em todos os partidos. Mas, repito o que afirmei 
no último post: uma coisa é a opção pessoal do 
candidato e outra é o compromisso programático 
do partido.
Um dos programas governamentais do PT, por 
exemplo, criado em 2004, é o programa chamado 
de “Brasil Sem Homofobia” que, sob o pretexto 
de combater o preconceito, tem gastado milhões 
do dinheiro publico para colocar em prática os 
ideais e valores anticristãos da plataforma do 
partido. Na mesma direção está o Plano de 
Governo de Promoção LGBT (Lésbicas, Gays, 
Bissexuais e Transexuais) e o PNDH-3 (Plano 
Nacional de Direitos Humanos) ambos criados 
em 2009. São estes planos de governo que 
deflagram ações como a do malfadado “Kit Gay”, 
disseminador da cultura homossexual entre 
crianças, adolescentes e jovens brasileiros. 
Embora digam que tais planos de governo visam 
promover políticas públicas contra a discriminação, 
de fato promovem a cultura homossexual por meio
 da desconstrução da heteronormatividade.
Não darei o meu voto a Haddad, porque isto 
significaria entregar nas mãos do PT a prefeitura 
da maior cidade do país. E, consequentemente, 
significaria fortalecer o partido que de maneira 
intencional e planejada trabalha para a 
desconstrução do pensamento (logos) e dos 
valores (ethos) cristãos. E a minha oração é 
para que os cristãos não colaborem com o seu 
voto para que este processo de desconstrução 
seja levado a efeito. Que tal processo de 
desconstrução seja levado a efeito apesar dos 
cristãos e não com a colaboração deles. Por 
isso digam “não” ao Haddad.

Rev. Paulo Ribeiro Fontes


Fonte: http://ebenezer.org.br/wordpress/2012/10/10/por-que-nao-votar-em-haddad/


Divulgação:


Nenhum comentário:

Postar um comentário